Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável

RODRIGO VARGAS RIBEIRO - Secretário Municipal

Contato: (28) 3552-4297 - Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

+ Informações

Criada pelo Projeto de Lei Nº 15/2005, de 17 de maio de 2005. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável - SEMDES tem o objetivo de promover a execução das políticas da Administração Municipal na área de desenvolvimento econômico, bem como as atividades ligadas ao desenvolvimento urbano, à ciência e tecnologia, à organização social e à geração de emprego e renda no Município. 
 
Também compete à SEMDES: contribuir e coordenar a formulação do Plano de Ação do Governo Municipal e de programas gerais e setoriais inerentes à Secretaria; garantir a prestação de serviços municipais de acordo com as diretrizes de governo; elaborar plano de desenvolvimento sustentável para o Município, atualizando-o permanentemente.
 
Endereço:
PREFEITURA MUNICIPAL DE ALEGRE 
SEMDES - Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável 
Av. Dr. Olívio Correa Pedrosa, 518
Alegre - Espírito Santo - CEP 29500-000

Telefone de contato:
(28) 3552-4297 / 1857

Imprimir

Seminário celebra municipalização do Licenciamento Ambiental em Alegre

Escrito por Publicador ligado . Publicado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável

A Prefeitura de Alegre realizou hoje (7) o I Seminário de Meio Ambiente – Gestão Municipal Ambiental. O evento expõe os trabalhos realizados pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMMADES) a respeito da municipalização do Licenciamento Ambiental.

Com a municipalização, o licenciamento de empreendimentos de impacto local como loteamentos, indústrias de pesquisas, de tratamento e/ou disposição de resíduos, oficinas mecânicas, postos de gasolina, entre outros, já está sendo realizado por diversas prefeituras. A formalização do pedido de licença no município também torna mais fácil a vida do pequeno empreendedor, que passa a ter o atendimento na sua região, sem a necessidade de procurar o Iema.

Em sua fala de abertura, o prefeito, José Guilherme, lembrou que a Gestão Ambiental Municipal é uma das propostas de seu governo, e que confiou ao secretário, Rodrigo Vargas, a incumbência de implementar este serviço na cidade. “O maior beneficiado será o nosso município gerando mais oportunidades de crescimento, agilidade na emissão do documento e maior fiscalização ambiental”.

O deputado estadual, Rodrigo Coelho, prestigiou a abertura do evento e salientou que é papel de todos atuar na gestão ambiental das cidades. “O município dá as ferramentas e nós, enquanto população, nos tornamos agentes do desenvolvimento ambiental de Alegre. É muito gratificante poder acompanhar a coragem do município de Alegre em abarcar mais esta responsabilidade”, enfatizou Coelho.

O secretário da pasta, Rodrigo Vargas, agradeceu o empenho da Prefeitura e do Governo do Estado em apoiar as iniciativas criadas no município em prol do meio ambiente. “Mesmo com uma equipe pequena, estamos comprando esta briga para ver o crescimento do nosso município. Antes, os empreendedores necessitavam se deslocar até Vitória para acompanhar seus processos junto ao Iema, além do tempo que levava para que o documento fosse emitido, anos de espera em alguns casos. Agora, a municipalização do licenciamento ambiental facilitará a vida dos alegrenses que poderão acompanhar de perto o andamento dos processos”.

As licenças terão validade média de quatro anos e serão mais de 200 atividades que necessitarão da emissão do documento. Em Alegre, quase todos os empreendimentos urbanos e rurais são considerados de impacto local e, portanto, necessitarão do Licenciamento, com exceção das pedreiras, explica Rodrigo.

“Com as atividades licenciadas e com a fiscalização sendo realizada pela Prefeitura, abriremos as portas para o desenvolvimento de nossa cidade. As oportunidades que a municipalização do Licenciamento trará são enormes, os pequenos negócios se fortalecem, nossa economia cresce, empregos serão gerados, estamos otimistas com todas as possibilidades que este passo trará para Alegre. Estamos de volta no caminho do desenvolvimento”, finaliza José Guilherme.

Caparaó Jr.

Além do Seminário de Meio Ambiente, a Prefeitura de Alegre, assinou, junto com a empresa Caparaó Jr., um termo de colaboração para fomentar a cafeicultura da cidade. A parceria estabelecida se dará através da assistência técnica da Caparaó Jr em comunidades que são consideradas polos na cafeicultura como Roseira, Bom Ver, Água Limpa, Lagoa Seca, entre outras.

O Deputado Estadual, Rodrigo Coelho, também aproveitou a solenidade para fazer a entrega simbólica de um veículo que auxiliará as atividades da empresa júnior. “Este veículo aumentará a capacidade de atuação da Caparaó Jr. Que tem realizado um trabalho importantíssimo no município. Estamos felizes em poder contribuir com mais esta ação”, avalia o deputado.

A Caparaó Jr. é uma empresa júnior formada por alunos do Curso Superior de Tecnologia em Cafeicultura do Ifes – campus de Alegre, com orientação dos professores e servidores técnicos-administrativos, e que tem como atividade principal a prestação de serviços de agronomia e consultorias a atividades agrícolas voltadas para a cafeicultura.


Fundada em maio de 2010, ela hoje atende a mais de 1.600 produtores rurais da região do Caparaó e de seu entorno, tendo como parceiros associações e prefeituras, além da empresa Samarco Mineração, com quem desenvolve um programa desde 2010. Atualmente, sua área de atuação compreende a região sul e serrana capixaba, parte das Matas de Minas e noroeste do estado do Rio de Janeiro.


Ela combina qualidade nos serviços prestados e o baixo custo para executá-los. Ao mesmo tempo em que configura uma oportunidade de aprendizagem para os alunos sob supervisão, proporcionando-lhes experiência profissional, e permitindo melhor inserção no mercado de trabalho após conclusão do curso. Entre seus objetivos, destaca-se a ampliação da qualidade da formação humana e profissional dos alunos, a integração do ambiente acadêmico com as comunidades atendidas e a contribuição para a melhoria da cafeicultura.

 
Imprimir

Licenciamento Ambiental abre portas para o desenvolvimento de Alegre

Escrito por Publicador ligado . Publicado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável

O município de Alegre está apto a emitir Licenciamento Ambientais para empreendimentos urbano e rurais. A sanção publicada no Diário Oficial do Espírito Santo na última semana oficializa todo o trabalho de gestão realizado pela Prefeitura de Alegre, através da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

Com a municipalização, o licenciamento de empreendimentos de impacto local como loteamentos de até três hectares, indústrias de pesquisas, de tratamento e/ou disposição de resíduos, oficinas mecânicas, postos de gasolina, entre outros, já está sendo realizado por diversas prefeituras. A formalização do pedido de licença no município também torna mais fácil a vida do pequeno empreendedor, que passa a ter o atendimento na sua região, sem a necessidade de procurar o Iema.

“Antes, os empreendedores necessitavam se deslocar até Vitória para acompanhar seus processos junto ao Iema, além do tempo que levava para que o documento fosse emitido, anos de espera em alguns casos. Agora, a municipalização do licenciamento ambiental facilitará a vida dos alegrenses que poderão acompanhar de perto o andamento dos processos”, avalia o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Rodrigo Vargas.

Além da facilidade, o município terá maior controle das atividades licenciadas, facilitando a gestão ambiental em Alegre. “A Prefeitura terá mais controle das atividades realizadas no município, teremos maior proximidade com os empreendimentos e consequentemente estaremos contribuindo com a melhoria da qualidade ambiental da cidade. Todos ganham com o Licenciamento Ambiental Municipal”, afirma o prefeito municipal, José Guilherme.

As licenças terão validade média de quatro anos e serão mais de 200 atividades que necessitarão da emissão do documento. Em Alegre, quase todos os empreendimentos urbanos e rurais são considerados de impacto local e, portanto, necessitarão do Licenciamento, com exceção das pedreiras, explica Rodrigo.

“Com as atividades licenciadas e com a fiscalização sendo realizada pela Prefeitura, abriremos as portas para o desenvolvimento de nossa cidade. As oportunidades que a municipalização do Licenciamento trará são enormes, os pequenos negócios se fortalecem, nossa economia cresce, empregos serão gerados, estamos otimistas com todas as possibilidades que este passo trará para Alegre. Estamos de volta no caminho do desenvolvimento”, finaliza José Guilherme.

Seminário

Adiado por conta da greve dos caminhoneiros que paralisou o abastecimento de combustível em várias cidades, a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável decidiu transferir o Seminário de Meio Ambiente – Gestão Ambiental Municipal para o próximo dia 7 de junho, na Câmara de Vereadores, às 9h.

O Seminário abordará a temática da Gestão Ambiental no município com a presença de vários parceiros como Incaper, Idaf entre outros. A programação também trabalhará a experiência exitosa do município de Castelo com a municipalização do Licenciamento Ambiental.

I Seminário de Meio Ambiente – Gestão Ambiental Municipal
Data: 07 de junho
Local: Câmara de Vereadores
Horário: 9h

Programação:
09h – Abertura
10h – Municipalização da Gestão Ambiental no Espírito Santo (IEMA)
10h30 – Atividades rurais  de impacto local (IDAF)
11h – Municipalização da gestão ambiental em Alegre “Lançamento do Licenciamento Ambiental Municipal” (SEMMADES)
12h Intervalo
13h30 – A Fiscalização Ambiental na Zona Rural (IDAF)
15h -  Café com prosa
15h15 – Gestão de Resíduos Sólidos e Coleta Seletiva em Alegre (SEMMADES)
16h – Encerramento

OBS: Haverá certificado para os participantes

Imprimir

Licenciamento Ambiental

Escrito por Comunicação ligado . Publicado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável

Consola de depuração Joomla

Sessão

Dados do perfil

Utilização de memória

Pedidos à Base de dados