Imprimir

Características Econômicas

Escrito por Comunicação ligado . Publicado em A Cidade & História

A cidade de Alegre desenvolveu-se nas áreas planas e nas encostas suaves dos vales dos rios Alegre, Conceição e seus afluentes próximos. A cidade possui uma infra-estrutura urbana bem dotada, comércio forte e também sofre os problemas urbanos advindos do contínuo e crescente êxodo das áreas rurais do município e da região.

No início do século XX, Alegre era um grande município. Perdeu parte de seu território para conformar os atuais municípios de Guaçuí, Dores do Rio Preto, Divino de São Lourenço e Ibitirama. É de supor, portanto, que por longo tempo tenha polarizado a região, nomeadamente no período da expansão cafeeira (1870-1910). Daí a formação de um centro urbano forte e bem estruturado.

A rodovia BR-482 é hoje o principal indutor do desenvolvimento do tecido urbano, seja para a direção oeste (Celina e Guaçuí), seja para a direção leste (Rive e Jerônimo Monteiro). A rodovia constitui um eixo com dinâmica própria, que vai induzindo e incorporando todas as aglomerações que ao longo de suas margens se estendem até Cachoeiro de Itapemirim.

Nos últimos anos, com a crescente chegada de pessoal que vem abandonando a zona rural, tem crescido a demanda por conjuntos habitacionais. Além disso, outro fato que merece destaque é que Alegre torna-se cada vez mais um centro qualificado de ensino, pesquisa e extensão do Estado, com três instituições de Ensino, duas federais - o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (IFES) e o Centro Agropecuário da Universidade Federal do Espírito Santo (CCA-UFES) (foto) e uma Autarquia Municipal, a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Alegre (FAFIA). Antes um pólo de educação na área agrícola, hoje o município abriga mais de 30 cursos de graduação e pós-graduação que vão desde a Agronomia, passando pela área de alimentos e médica, até as áreas de alta tecnologia.

O IFES forma técnicos de nível médio há 50 anos, e atualmente cursos técnicos (nível médio) em agroindústria, agropecuária e informática, cursos de nível superior de Ciências Biológicas (licenciatura), Aquicultura e Cafeicultura, e pós-graduação em Agroecologia. O CCA-UFES, por seu turno, oferece ensino superior de Agronomia, Ciência da Computação, Ciências Biológicas, Engenharia de Alimentos, Engenharia Florestal, Engenharia Industrial Madeireira, Engenharia Química, Farmácia, Física (Licenciatura), Geologia, Matemática (Licenciatura), Medicina Veterinária, Nutrição, Química (Licenciatura), Sistemas de Informação e Zootecnia; pós-graduação em Produção Vegetal, Ciências Florestais, Ciências Veterinárias e Ciência e Tecnologia de Alimentos. Já a FAFIA possui formação em Biologia, Enfermagem, Farmácia, Psicologia, Ciências Biológicas (Licenciatura), Matemática (Licenciatura), História (Licenciatura), Letras (Licenciatura) e Pedagogia (Licenciatura), além de várias pós-graduação que podem ser conferidas no site da instituição.

A presença dos estudantes destes estabelecimentos de ensino e dos de ensino médio confere à vida noturna de Alegre um aspecto movimentado e festivo, pois ocupam até tarde as praças e os diversos bares da cidade. Além disso, muitos estudantes - especialmente os do CCA-UFES e IFES, são de outros municípios e precisam se alojar na cidade, movimentando assim o setor imobiliário, com muitas construções de prédios de médio porte.

Fontes: IPES - Diagnóstico Sócio Econômico do Território do Caparaó, sites das instituições (www.cca.ufes.br, www.fafia.edu.br, www.alegre.ifes.edu.br).

Principais Atividades Econômicas

O setor primário (atividades agropecuárias) em Alegre desempenha um papel muito importante na economia local: cerca de 26,6% do PIB municipal deriva desse setor. As atividades que geram a maior parcela do PIB são as de comércio e serviços, com 71,2%, sobrando para o setor secundário (indústrias) apenas 2,2%. Esses números mostram como a industrialização do município é baixa, desempenhando um papel pouco relevante.

Na área rural, segundo o Sebrae-ES, as principais atividades econômicas do município são a cafeicultura, a olericultura, a pecuária leiteira e o ecoturismo. A cultura do café é a que mais se destaca, sendo o café arábica a principal variedade. Ainda conforme o Sebrae-ES, nos últimos anos os cafeicultores vêm tentando produzir um café de melhor qualidade e com maior produtividade, com a ajuda do Incaper. Outras culturas importantes são a do milho, a do feijão, da banana e do tomate, mas estas são produzidas com baixa tecnologia.

Consola de depuração Joomla

Sessão

Dados do perfil

Utilização de memória

Pedidos à Base de dados